Detido na Cracolândia, irmão de Suzane von Richthofen é internado em ala psiquiátrica

Ele foi detido por PMs ao tentar invadir casa. Em hospital, afirma temer ser morto Andreas von Richtofen, 29 anos, irmão de Suzane von Richtofen, foi internado na terça-feira (30) em um hospital de São Paulo depois de ser detido por policiais militares ao tentar invadir uma casa que dizia ser do tio, na área da Cracolândia. O policiamento no local tem estado reforçado por conta de uma ação do prefeito João Dória na região. Ao ser encontrado, Andreas dormia no quintal da casa e tinha ferimentos pelo corpo. Irmã de Andreas, Suzane cumpre pena na prisão de Tremembé pela morte dos pais, em 2002.
Andreas estava com roupas rasgadas, “higiene precária” e “olhos vidrados”, segundo dados do boletim médico. Ele chegou ao hospital levado por uma equipe da PM. Segundo o Extra, o rapaz ficou agitado ao saber que ficaria internado e tentou se jogar da maca. Foi preciso fazer um cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) para que Andreas recebesse atendimento. 
Enquanto era atendido, ele afirmou ao médico que estava "paranoico". Entre os ferimentos, a maioria estava na perna. Eles teriam sido causados pelas lanças na grade do imóvel que Andreas tentou invadir.
Andreas relatou no hospital que quem ordenou que ele invadisse a casa foi o "imperador". Ele contou também que usa às vezes álcool e maconha, mas não consumiu nenhum entorpecente recentemente. O prontuário do rapaz afirma que ele tem sintomas que indicam "abuso de substâncias ilícitas", segundo O Globo. Andreas foi avaliado novamente na parte da tarde, desta vez por um psiquiatra, e acabou internado na ala de saúde mental da unidade. Ele afirma que teme que alguém o mate.
Uma assistente social do hospital entrou em contato com um tio do rapaz, que se comprometeu a ir até a unidade médica para se informar sobre a situação, o que não aconteceu até agora. 
Crime
Andreas tinha apenas 15 anos quando os pais foram mortos pela irmã, com ajuda do namorado e do cunhado. Ele completa 30 anos em julho. Ele é formado em Farmácia e doutor em Química Orgânica pela Universidade de São Paulo (USP).
Com a irmã presa, Andreas se tornou o único herdeiro de Manfred e Marisia. Ele passou por disputa judicial na luta para saber quem iria controlar o dinheiro da família. Os recursos ficaram sob administração do tio, médico Miguel Abdalla, que foi tutor de Andreas até que ele se tornasse maior de idade.
Os dois irmãos não têm contato. Na cadeia, Suzane chegou a declarar que tinha interesse em se reaproximar do irmão, o que não chegou a acontecer. Em 2015, ele publicou uma carta em que chama a irmã e os irmãos cravinhos de "esses três assassinos". Ela cumpre sua pena e sai ocasionalmente da prisão beneficiada por saídas temporárias, como Dia das Crianças e Dia das Mães.