Vigilantes decidem manter greve após nova negociação terminar sem acordo

Vigilantes se concentraram em frente ao Shopping Sumaré após a reunião - Foto: Francisco Arthur | Ag. A TARDEOs vigilantes decidirem manter a greve na Bahia. De acordo com a assessoria do sindicato da categoria (Sindivigilantes), a decisão foi tomada após nova reunião com empresários na tarde desta terça-feira, 30, na Superintendência Regional do Trabalho, no Caminho das Árvores, em Salvador.
Ainda conforme o Sindivigilantes, o patronato ofereceu 1% de aumento, mas a proposta não foi aceita. "A greve continua", disse o presidente do sindicato, José Boaventura, em pronunciamento com os vigilantes após o término da reunião.
A categoria pede um ajuste salarial de 7%, tíquete-refeição de R$ 20, cotas para as mulheres de 30% por posto de trabalho e piso salarial de R$ 1.500. Os trabalhadores estão parados desde a última terça, 23. 
Após a reunião, um grupo de vigilantes saiu em passeata e se concentrou na região do Shopping Sumaré, localizado na avenida Tancredo Neves.
Serviços suspensos
A paralisação da categoria vem afetando os atendimentos em agências bancárias, no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e em museus do estado.
Os estabelecimentos suspenderam as atividades sob a alegação de falta de segurança, uma vez que, segundo o Sindivigilantes, 65% da categoria aderiu à paralisação.