Advogado de Geddel descarta delação: "não tem o que delatar"

Advogado do ex-ministro Geddel Vieira Lima, Gamil Föppel descartou que o peemedebista fará delação premiada, com o intuito de reduzir uma possível pena em caso de condenação. "Não tem o que delatar. Neste caso, rigorosamente, não tem envolvimento de Geddel nesse tipo de procedimento", disse em entrevista ao presentado José Eduardo, na Rádio Metrópole.
O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi preso nesta segunda-feira, 3, pela Polícia Federal, em sua casa no Chame-Chame, por volta das 16h, no âmbito da Operação 'Cui Bono'. A detenção do peemedebista foi autorizada pelo juiz federal da 10ª Vara, Vallisney de Oliveira.
A prisão é preventivo e foi fundamentada a partir de informações fornecidas em depoimentos recentes do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, do empresário Joesley Batista e do diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva. No pedido enviado à Justiça, os autores afirmaram que o político tem agido para atrapalhar as investigações.
Gamil afirma que durante meses o ex-ministro se prontificou a depor na Polcai Federal, ao Ministério Público Federal e ao juiz. “Foi formalizado com protocolo e ele não foi ouvido em momento algum. Agora, ele já esta preso há dois dias e também não foi ouvido”, diz.
Föppel criticou ainda a imprensa, que, segundo disse, sonegou informações sobre a delação de Joesley Batista, da JBS. "Me chama atenção isso. Joesley, na delação dele, diz que nunca deu propina a Geddel. Porque nenhum veículo divulgou isso? A quem interessa não divulgar?", questionou.