Defesa de Temer contesta acusação em documento de 11 capítulos

Inexistência de provas de corrupção, ausência de conexão com a Lava Jato, falta de autenticidade no áudio com Joesley Batista, ilicitude da gravação ambiental do Palácio do Jaburu e um desafio explícito ao procurador-geral, Rodrigo Janot, formam a linha central da defesa de Michel Temer a ser protocolada nesta quarta-feira (05) na Câmara dos Deputados.
De acordo com a revista Veja, o documento tem quase 100 páginas, dividido em 11 capítulos que buscam destruir a acusação da PGR. Ao STF, Janot atribui a Temer o crime de corrupção passiva no caso JBS. 
O ponto central da defesa é um desafio explícito a Janot para que ele prove em que circunstâncias Temer teria recebido propina de Joesley. 
Além disso, a defesa alega que a gravação feita pelo dono da JBS foi editada, apesar do que disseram os peritos da Polícia Federal, que confirmou a integridade da gravação.