PF cumpre mandados em Salvador, Lauro de Freitas e Santo Amaro no âmbito da 'Adsumus'

PF cumpre mandados em Salvador, Lauro de Freitas e Santo Amaro no âmbito da 'Adsumus'
A Polícia Federal cumpre oito mandados de busca e apreensão e sete de condução coercitiva em três municípios baianos no âmbito da Operação Adsumus, nesta quinta-feira (6). Cerca de 40 policiais dão seguimento às ordens judiciais em Salvador, Lauro de Freitas e Santo Amaro. Também foi determinado o bloqueio judicial de mais de R$ 38 milhões em valores, imóveis e veículos, para ressarcir a União pelos desvios. A intenção é desarticular esquema criminoso de desvio de verbas públicas, fraudes à licitação, corrupção e lavagem de dinheiro. A investigação feita entre a PF e o Ministério Público do Estado da Bahia descobriu ilícito através de três núcleos empresariais que recebiam recursos da prefeitura de Santo Amaro para realizar obras públicas, fornecer material de construção e alugar maquinário. Além do direcionamento e irregularidades nos processos licitatórios, foi verificado também que parte das obras contratadas era realizada por servidores da própria prefeitura, que absorvia parte dos custos e possibilitava o desvio do dinheiro. Os valores recebidos pelos empresários eram transferidos a um operador do pagamento de propina, que repassava os recursos para agentes políticos e servidores públicos envolvidos. As investigações ainda identificaram o pagamento de altos valores a empresas do ramo de entretenimento, mediante contratação sem licitação, cujos sócios eram os próprios secretários municipais. De acordo com a força-tarefa, parte do dinheiro desviado era da prefeitura e parte, de programas e convênios do governo federal - por isso o MP-BA e a PF investigam o caso. A primeira etapa da Operação Adsumus foi deflagrada em 14 de julho do ano passado , culminando na prisão do vice-prefeito da cidade, Leonardo Araújo Pacheco Pereira . Em novembro, o MP-BA ofereceu denúncia por associação criminosa e lavagem de dinheiro contra o vice-prefeito Leonardo Pereira; o ex-secretário municipal de Administração, Desenvolvimento, Obras e Serviços, Luís Eduardo Pacheco Alves; os empresários Paulo Sérgio Soares Vasconcelos, Jachson César Rocha Azevedo e Hildecarlos Seixas de Souza, e contra a médica Ilka de Almeida Sousa Seixas, esposa de Hildecarlos