Estudantes da Educação Profissional de Lauro de Freitas criam mala-computador com materiais recicláveis

              
Criatividade para desenvolver um projeto que apresentasse um produto de baixo custo e viés sustentável. Foi com este pensamento que Beatriz Melo e Gabriele Martins, ambas com 15 anos, e estudantes do 1º ano do curso técnico de nível médio em Suporte e Manutenção em Informática, do Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia da Informações e Comunicação, em Lauro de Freitas, criaram a mala-computador. O produto consiste na montagem, com peças recicláveis de todos os componentes internos do gabinete do computador dentro de uma mala, proporcionando a fácil locomoção da máquina.

Para desenvolver o protótipo, as estudantes realizaram uma pesquisa que envolveu 207 alunos do Ceep. “Primeiro, gostaríamos de saber se o projeto causava interesse dos colegas para ver a aceitação. Tivemos um bom retorno e iniciamos o trabalho, estudando as possibilidades de como viabilizar o produto”, diz Beatriz. Ela destaca que a ideia era utilizar materiais recicláveis, pois isso contribuiria para diminuir a quantidade do lixo eletrônico. “Queríamos trazer uma opção de baixo custo e que pudesse ser sustentável, diminuindo o impacto ambiental”.

Gabriele completa dizendo que “esses materiais possuem mercúrio, cádio e chumbo, substâncias altamente poluentes, e um projeto como esse poderia motivar a reutilização das peças para criação de novas malas-computador”. Segundo ela, o modelo cria uma maior comodidade para o dono. “Quem tem computador sabe a dificuldade de locomover um gabinete. Mas quando tem o suporte facilitado por uma mala fica muito mais fácil, até mesmo na escola, onde não precisa ficar fixo em uma sala e ser utilizado em diversos espaços da unidade”.

As duas futuras técnicas ainda concordam em relação a importância da atividade desenvolvida pelo Ceep. “Desenvolver estas atividades na escola ajuda bastante a colocarmos em prática o que estamos aprendendo na teoria”, afirma Beatriz. Para Gabriele. “todo este processo acaba aprofundando nosso conhecimento e mostrando a importância dos estudantes estarem engajados com o lado social”. 

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado