NOTÍCIAS 24HS

Post Top Ad

Your Ad Spot

sábado, 24 de março de 2018

Vereadoras comemoram Dia Internacional e Março Mulher


                                             
Por inciativa da bancada feminina, a Câmara Municipal celebrou em sessão especial, nesta sexta-feira (23), o Dia Internacional e o Mês da Mulher, com a participação da prefeita Moema Gramacho, a deputada estadual Maria Del Carmen, a secretária estadual do Trabalho, Olívia Santana, entre outras autoridades. O Dia Internacional da Mulher é comemorado no dia 8 de março, data definida pela Organização das Nações Unidas (ONU) na década de 1970.

A bancada feminina é composta pelas vereadoras Naide Brito, presidenta da Câmara; Luciana Tavares, primeira vice-presidenta e líder do governo; Mirian Martinez, presidenta da Comissão da Mulher; e Débora Régis, presidenta da Comissão de Constituição e Justiça. “Agradeço àquelas que priorizaram estar nesta sessão para fazer uma reflexão sobre o que significa ser mulher na sociedade brasileira”, disse Naide Brito, que homenageou Marielle Franco, Marisa Letícia Lula da Silva e Dilma Rousseff. A vereadora Dona Augusta, falecida no final de 2017, também foi lembrada.

“Devemos valorizar a presença de uma mulher na Presidência da Câmara e precisamos dizer que as mulheres têm ocupado, cada vez mais, espaços que historicamente eram ocupados pelos homens com a mesma competência e, em muitos casos, até mais”, afirmou a prefeita, acrescentando que a morte de Marielle foi um recado do regime de exceção que vigora no país contra a democracia e a luta pelos direitos humanos.

“Fico feliz quando vejo uma Câmara como essa, comandada por uma mulher e tendo uma líder do governo. O feminismo é revolucionário, não somos recatadas, do lar e estamos em uma guerra de resgate da democracia”, discursou Olívia Santana. “No momento em que a democracia corre risco, as primeiras prejudicadas são as mulheres, com o fim ou a redução das políticas públicas”, ressaltou Maria Del Carmen.

Levante do Joanes

O historiador Gildásio Freitas falou sobre o Levante do Joanes, ocorrido em 1814, e que teve a participação ativa das escravas Teresa, Felicidade, Germana e Ludovina, punidas com 100 chibatadas, cada, e degredo perpétuo em Angola. As quatro serão homenageadas com a instituição, pela Câmara Municipal, de uma medalha destinada a pessoas ou entidades que se destacam na luta por direitos civis. A proposta é da presidenta da Casa.

Também participaram da sessão os vereadores Fausto Franco, Amarílio Topó, Tito Coelho, Edivaldo Palhaço e Roque Fagundes; as secretárias municipais de Políticas para as Mulheres, Bárbara Chaves, de Desenvolvimento Social, Huldaci Santana; a juíza Antônia Faleiros; a presidenta do Conselho Municipal de Direitos e Defesa da Mulher, Cleide Rezende; a coordenadora da Universidade Livre, Terezinha Barros; a estudante Milena Lima, representando o projeto Lilá, da Escola Gregório Pinto; a delegada Elaine Laranjeira; e tenente Milena, da Base Comunitária de Itinga; e o secretário municipal do Trabalho, Uilson Souza.

Dia Internacional da Mulher

A ideia surgiu no final do século XIX e início do século XX nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas femininas por melhores condições de vida e trabalho, e pelo direito de voto. Em 26 de agosto de 1910, durante a Segunda Conferência Internacional das Mulheres Socialistas em Copenhague, a líder socialista alemã Clara Zetkin propôs a instituição de uma celebração anual das lutas pelos direitos das mulheres trabalhadoras.

No início de 1917, na Rússia, ocorreram manifestações de trabalhadoras por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial. Os protestos foram brutalmente reprimidos, precipitando o início da Revolução de 1917. A data da principal manifestação, 8 de março de 1917 (23 de fevereiro pelo calendário juliano), foi instituída como Dia Internacional da Mulher pelo movimento internacional socialista.

Post Top Ad

Your Ad Spot

MAIN MENU